A luta pelo livro acessível também é nossa!

Os movimentos de defesa de direitos das pessoas com deficiência visual Cidade Para Todos, Visibilidade Cegos Brasil, Cegos em Rede e MPAcessibilidade, formados por pessoas com e sem deficiência em todo o país, vêm a público manifestar total apoio a Naziberto Lopes de Oliveira, o maior representante da luta pelo livro acessível no Brasil e criador do Movimento Pelo Livro e Leitura Acessíveis (MOLLA).

Naziberto já tem seu lugar na história da luta por um direito básico que, embora garantido por nossa Constituição a qualquer cidadão, é negado a quem é cego: o direito à leitura. Não à leitura oferecida por instituições assistencialistas, com seus precários acervos, mas, sim, àquela escolhida e comprada entre os milhares de títulos disponíveis das editoras, como faz qualquer pessoa sem deficiência visual.

Foram, até agora, mais de doze anos de luta pela criação e efetivação de leis que garantissem o acesso dos cegos aos livros; luta contra o assistencialismo, que faz de tudo para ser o único detentor do livro para cegos, uma vez que sobrevive de verbas governamentais e doações para produzi-lo; e luta com as editoras, que resistem em cumprir, antes de qualquer lei, este direito humano.

Em toda esta trajetória, uma única mas significativa vitória: em 2015, o Supremo Tribunal Federal deu a Naziberto ganho de causa em um longo e caro processo movido contra as editoras Cia. das Letras e Contexto, que, desde então, são obrigadas a fornecer a ele os livros digitais acessíveis de suas publicações.

Agora que temos a Lei Brasileira de Inclusão, que obriga as editoras a fornecerem livros a pessoas com deficiência visual, um novo entrave: o lobby assistencialista, que pretende que a lei seja regulamentada e seu livro acessível seja imposto como único formato aceitável. Se isso acontecer, lá se vai, mais uma vez, o sonho de um cego ter o que qualquer pessoa que enxerga tem desde sempre: o livro que escolher ler.

As recentes carta aberta e petição que Naziberto elaborou, reivindicando a não-regulamentação da LBI, foram submetidas e aprovadas por nossos movimentos, como de praxe. A Naziberto Lopes de Oliveira e à luta pelo livro acessível, nosso apoio e respeito. Esta bandeira também é nossa.

Quanto ao sr. Leon Deniz Cândido de Freitas (mais conhecido como “Diniz Cândido”), só podemos lamentar sua deplorável tentativa de denegrir nossos movimentos e desqualificar seus membros, mais um dos tristes papéis que desempenha nas redes e que inclui o que parece ser sua especialidade: a construção de perfis falsos e futricas de comadre. Postura de uma mediocridade constrangedora, ainda mais desprezível porque vinda de pessoa com deficiência visual e que apenas reforça sua eterna fama de lambe-botas do assistencialismo, uma vez que sempre foi beneficiário indireto dele. Acabou superando todos os limites, ainda mais se levarmos em conta alguém que se intitula defensor da inclusão, no episódio em que foi capaz de humilhar publicamente uma palestrante com paralisia cerebral por discordar de sua participação durante um dos encontros Dosvox, do qual foi, por isso, expulso! Como se vê, não costuma aceitar discordâncias e nem mesmo desafetos: tem por hábito recolocar ex-seguidores de volta em suas listas e redes, sem autorização…

E quando tenta apresentar argumentação que justifique seus surtos bajuladores e caritativos? A defesa é risível, facilmente desconstruída por qualquer estudante de Direito que se interesse pela questão do livro acessível no país. Foi desacreditado até mesmo por seus pares: o novo presidente da ONCB, Organização Nacional de Cegos do Brasil, sr. Antonio Muniz, afirmou que sua opinião não reflete a opinião da entidade (!), uma vez que já nem mesmo ocupa qualquer função dentro dela – isso em recente mensagem enviada a um de nossos membros…

Diante desta afirmação, aproveitamos, então, para questionar a ONCB: com nova diretoria e a alardeada disposição de promover mudanças, já que agora é ocupada pela “oposição”, concordam com nossas reivindicações a respeito da questão do livro acessível? Pretendem ratificar nossa petição, ao contrário das diretorias anteriores, que jamais apoiaram qualquer iniciativa do MOLLA, como o histórico abaixo-assinado pela regulamentação da chamada Lei do Livro, que recolheu, à época, mais de 30 mil assinaturas?

Aos interessados em conhecer e/ou assinar nossa atual petição que circula pelas redes, segue o link, com nossos agradecimentos a todos os que apoiam esta causa, em especial a três grandes nomes da luta pela inclusão de pessoas com deficiência no país: Romeu Sassaki, Claudia Werneck e Patricia Almeida.

https://www.change.org/p/deputada-federal-mara-gabrilli-cegos-podem-perder-direito-de-acesso-a-leitura-combatamos-essa-amea%C3%A7a

Atenciosamente

 

Cidade Para Todos

Visibilidade Cegos Brasil

Cegos Em Rede

MPAcessibilidade

Anúncios

Os comentários estão desativados.